19º PORTO VERÃO ALEGRE: PROGRAMAÇÃO DE 25 A 28 DE JANEIRO

0
172

hero2018

A programação de quinta a domingo do Porto Verão Alegre, dias 25 a 28 de janeiro, terá as seguintes atrações:  as últimas sessões das estreias Palco Babylônica e Los Meketrefes, e de O Mal Entendido e Os Homens do Triângulo Rosa. Estreiam Ícaro, Guri de Uruguaiana 2 – A missão e As Trevas Ridículas. E entram em cartaz as peças Projetos Secreto – Gaiola das Loucas, Como Sobreviver ao Fim do Mundo, Caio do Céu, Breves Entrevistas com Homens Hediondos, A Partícula de Deus e o Reportório Osório, a atração internacional, que vem de Portugal.

Entre esses, haverá tradução para libras em todas as sessões das peças Os Homens do Triângulo Rosa e Caio do Céu. Além disso, na apresentação de Caio do Céu de sexta-feira, 26, às 21h, no Teatro Renascença (Av. Érico Veríssimo,307), acontecerá uma sessão extra do CenaSig (evento em parceria com a Sigmund Freud Associação Psicanalítica de Porto Alegre – SIG). Portanto, para participar é necessário comprar o ingresso para assistir à peça. Os debatedores serão a psicanalista Eneida Braga e a atriz Deborah Finochiaro. 

Outra atividade gratuita promovida em parceria com a SIG será “Diálogos numa Noite de Verão: (Em) Que Tempos Vivemos?”, amanhã, 24, às 20h, na sede da Sig (Rua Marquês do Herval, 375, Moinhos de Vento). Não é preciso se inscrever.  Informações pelo telefone 51 3062.7400.

No dia 25, quinta-feira, às 19h, acontecerá outra palestra gratuita. Esta será sobre Gestão Política Pública Cultural de Portugal na sala Multiuso do Theatro São Pedro (Praça Mal. Deodoro, S/N – Centro Histórico). A palestra será conduzida por Luís Fernandes, diretor artístico da d’Orfeu, que estará em cartaz com Reportório Osório. A D’Orfeu é uma associação cultural que iniciou suas atividades em 1995, em Águeda, Portugal, com o objetivo de estimular atividades culturais através da música e da sua relação com todas as outras formas de expressão. Além de Fernandes, participarão do debate os organizadores do Porto Verão Alegre, Rogério Beretta e Zé Victor Castiel, o diretor do Theatro São Pedro, Dilmar Messias, e o músico e ator Hique Gomez. Entre os assuntos abordados estarão: a utilização das verbas públicas nos centros culturais, projetos públicos e privados, e formação cultural versus educação.  

Também faz parte da programação do final de semana uma das inovações do festival em 2018: o Open Palco Doctor Clin. A partir de uma parceria com a operadora de planos de saúde, acontecerá um evento aberto e gratuito, dia 28, domingo, das 17h30 às 20h30, na Praça em frente à Usina do Gasômetro. A ideia do evento é reforçar o espírito do teatro de rua, trazendo a apresentação de duas atrações, com a condução do músico e ator Philipe Philippsen, que fará o Show “Música para três pulmões”, com grandes sucessos da música nacional e internacional. Além dele, se apresentarão a Dominique Martins Andujar, com o espetáculo “Tudo é Possível!, que trará o circo para construir com o público um momento de todas as possibilidades. O outro artista será o Jean Crapanzani, com atrações de mágica.

 O Festival de Food Trucks continua na área externa ao Teatro da AMRIGS até o final do festival. Os food trucks participantes são o Bistrô da Ana, de hambúrguer, o Talagaçõ Beertruck, de cerveja artesanal, e o Petit Café. O serviço dos trucks ficará disponível das 18h às 23h.

Palco Babylônia

Datas: 23, 24 e 25 de janeiro 
Horário: 21h
Local: Centro Histórico-Cultural Santa Casa, Av. Independência,75

Sinopse:

Palco Babylonia é uma comédia para rir sem moderação. A peça, com texto de Artur José Pinto, coloca em um liquidificador teatral personagens como o filósofo Sócrates, Noé e sua arca, Rainha Isabel e Pedro Álvares Cabral, senadores gregos, e nada mais nada menos do que um índio argentino. Desse encontro nonsense de personagens inusitados derivam cenas hilariantes que remetem à formação da moral, ética e política do povo brasileiro. Em síntese, uma comédia de “maus costumes”.


Ficha Técnica:

Direção: Néstor Monasterio

Texto: Artur José Pinto

Elenco: Fernando Waschburger, Heloísa Palaoro e Néstor Monasterio
Cenário: Rodrigo Lopes
Figurinos: Deh Dullius e Lolla Monasterio
Coreografias: Cibele Sastre
Preparação Visual: Nicolas Monasterio
Produção: Etceteratral.

Duração: 75 minutos
Classificação: 14 anos

Palco Babylonia. Foto:  Rodrigo Waschburger/No Sofá

Palco Babylonia. Foto: Rodrigo Waschburger/No Sofá

O Mal entendido

Datas: 23, 24 e 25 de janeiro
Horário: 21h
Local: Sala Álvaro Moreyra, Av. Érico Veríssimo, 307

Sinopse:

A premiada montagem gaúcha, com texto de Albert Camus e com direção de Daniel Colin, apresenta atmosfera sombria e visualmente impactante, trazendo ao público a tensão da busca de sentido e a incomunicabilidade que permeia as relações, convergindo numa imprevisível desgraça sobre uma humanidade descuidada e de valores em plena decadência. Apesar de o texto ter sido escrito há mais de 70 anos, a narrativa continua atualíssima, trazendo questionamentos sobre os comportamentos e funcionamentos das pessoas, como o que as move e como elas reagem aos acontecimentos. O público é levado a uma espécie de catarse provocada pelas nuances de terror que dão o tom obscuro e envolvente da encenação.

Ficha Técnica:

Direção: Daniel Colin

Dramaturgia: Albert Camus

Tradução: Aline Sokolovsky e Caio Amon

Elenco: Carla Cassapo, Elison Couto, Fernanda Petit, Gabriela Greco e Pedro Nambuco

Criação e operação de luz :Carlos Azevedo

Trilha sonora e operação de som: Beto Chedid

Figurinos: Antonio Rabadan

Cenário: Marco Fronckowiak e Rodrigo Souto Lopes

Cabelos/ Maquiagem: Elison Couto

Contraregragem: Dener Augusto/Julia Pilotti

Produção: Fernanda Petit

Fotos: Jorge Scherer e Adriana Marchiori

Duração: 60 minutos
Classificação:18 anos

Los Meketrefes

Datas: 23,24 e 25 de janeiro
Horário: 21h
Local: Teatro de Arena, 
Av. Borges de Medeiros, 835

Sinopse: 


Los Meketrefes é um espetáculo que mistura o musical bem humorado com piano e voz ao vivo, o melhor do stand up comedy solo e ainda engraçadíssimos personagens e vestimentas hilárias em um esquete teatral. Fazem um “tributo” ao centro histórico da capital, parodiam a televisão e o rádio, a cultura pop predominante e outros temas candentes, onde a plateia também tem a sua vez.

Ficha técnica:

Atores: Oscar Simch, Índio Behn e Wilson Rosa
Texto, músicas e direção: o Grupo

Duração: 60 minutos
Classificação: 
12 anos

Los Meketrefes Foto: RICARDO STRICHER/No Sofá

Los Meketrefes Foto: RICARDO STRICHER/No Sofá

Os homens do triângulo rosa

Datas: 23, 24 e 25 de janeiro
Horário: 21h
Local: Teatro Renascença, Érico Veríssimo, 307

Sinopse:

O tema desse premiado espetáculo é a perseguição aos homossexuais pelo regime nazista, na Alemanha. Triângulo rosa era a forma como esses homens eram chamados nos campos de concentração, discriminados até mesmo pelos outros internos. A peça conta a história de sobreviventes que sofreram com a brutalidade e a intolerância, mas que poderiam encontrar, mesmo em condições tão terríveis, um lugar para a solidariedade e o amor. Espetáculo de grande força e contundência emocional, que abre espaço para a poesia e a esperança, é um grande sucesso de público desde sua estreia em 2014.

 Ficha Técnica:

Direção: Margarida Peixoto

Dramaturgia: adaptação das obras literárias Bent, de Martin Sherman; Triângulo rosa: um homossexual no campo de concentração nazista, de Jean-Luc Schwab e Rudolf Brazda; e EuPierre Seel, deportado homossexual, de Pierre Seel

Elenco: Marcelo Ádams, Frederico Vasques, Gustavo Susin, Gisela Habeyche, Alex Limberger, Pedro Delgado e Edgar Rosa

Instrumentista: Elda Pires

Figurinos: Antônio Rabadan

Cenografia: Yara Balboni

Trilha Sonora: Marcelo Ádams (Letras) Sobre Músicas De Kurt Weill

Iluminação: Maurício Moura

Operação de iluminação: Wagner Duarte

Maquiagem: Margarida Peixoto

Produção: Cia Teatro Ao Quadrado

Fotografias: Adriano Arantos

Duração: 120 minutos
Classificação: 16 anos

Este espetáculo terá tradução para libras em todas as sessões.

Ícaro

Datas: 25 e 26 de janeiro
Horário: 21h
Local: Instituto Goethe, 
Rua 24 de Outubro, 112 

Sinopse: 


ÍCARO é um monólogo teatral formado por depoimentos ficcionais de pessoas cadeirantes, construído a partir da visão, experiências e percepções sobre a deficiência do autor e ator Luciano Mallmann, que também se tornou um lesado medular ao sofrer um acidente. A peça seguirá a linha teatro documental e sua encenação será de forma simples, sensível e direta na abordagem da fragilidade humana, a qual todos estamos expostos. O espetáculo é formado por 6 cenas, sendo cada uma delas um depoimento de um personagem que sofreu um determinado tipo lesão medular.

Ficha técnica:

Dramaturgia e atuação: Luciano Mallmann

Direção: Liane Venturella

Trilha sonora: Monica Tomasi

Iluminação: Fabrício Simões

Preparação vocal: Ligia Motta

Divulgação: Leo Sant’Anna

Fotógrafa: Fernanda Chemale

Identidade visual: Walmor Corrêa

Produção: Luciano Mallmann

Duração: 70 minutos
Classificação: 
16 anos

Ícaro - Foto: © Fernanda Chemale/No Sofá

Ícaro – Foto: © Fernanda Chemale/No Sofá

Guri de Uruguaiana 2 – A missão

Datas: 25, 26, 27 e 28 de janeiro
Horário: 21h
Local: Teatro da AMRIGS, Av. Ipiranga, 5311

Sinopse:

Após 10 anos de sucesso e mais de 2 milhões de espectadores, o Guri se apresenta pela primeira vez no Porto Verão Alegre o seu novo show: “GURI DE URUGUAIANA 2: A MISSÃO”. Neste espetáculo, que deu origem ao novo DVD, o gaúcho mais famoso do Brasil se transforma em um agente secreto do MTG para encarar uma missão muito importante: manter viva a tradição gaúcha para as novas gerações! Show com banda ao vivo, participação especial do mágico Sergay Baitabichowisky, Licurgo (o gaúcho Nêjo), bailarinos e muito mais. Uma comédia musical com muita interatividade

Ficha Técnica:

Texto e direção: Jair Kobe

Elenco: Guri de Uruguaiana: Jair Kobe; Mágico Sergay Baitabichovisky: Jair Kobe e Licurgo “Gaúcho Emo”: Vitor Leal/
Músicos: Felippe Brazeiro, Vitor Leal e Nestor dos Reis

Bailarinos: Felippe Brazeiro, Salmo Silva, Ananda Denardi

Duração: 90 minutos
Classificação: 
Livre

Causos do Guri 2 Fotos: Tiago Trindade/No Sofá

Causos do Guri 2 Fotos: Tiago Trindade/No Sofá

As trevas ridículas

Datas: 27 e 28 de janeiro
Horário: 21h
Local: Instituto Goethe, 
Rua 24 de Outubro, 112

Sinopse:

Diante do tribunal um pirata somali pede compreensão pelo ataque ao navio de carga MS Taipan e lamenta pela perda de seu amigo Tofdau. Pellner e Dorsch estão em um barco de patrulha nas florestas tropicais do Afeganistão em busca da liquidação de um tenente coronel enlouquecido. Quando o pirata Tofdau retorna inesperadamente para a história e na escuridão implora por ajuda, é baleado, pois não há mais espaço para um estranho nesta história.

 Ficha Técnica:

Texto: Wolfram Lotz
Direção: Alexandre Dill
Intérpretes: Vicente Vargas, Guilherme Conrad, Lucas Prado, Frederico Vittola e Gustavo Susin
Direção Musical: Bibiana Petek
Preparação Vocal: Ligia Motta
Desenho de luz: Lucca Simas
Figurino: Manu Menezes
Cenografia: Reynaldo Neto
Cenotécnico: Rodrigo Shalako
Colaboração: Jezebel De Carli
Arte Gráfica: Késsio Guerreiro
Fotos e vídeos: Pedro Mendes
Assessoria de textos: Giorgia Fiorini
Produção: GRUPOJOGO de experimentação Cênica

Duração:120 minutos (com 15 minutos de intervalo)
Classificação: 12 anos

Projeto Secreto: A Gaiola das Loucas

Datas: 25, 26 e 27 de janeiro
Horário: 20h
Local: Teatro do SESC, Av. Alberto Bins,665

 Sinopse: 

Em seu terceiro ano de sucesso, o espetáculo traz quatro drag queens interpretando as personagens d’A Gaiola das Loucas para falar sobre as novas relações familiares, em meio a dublagens e muito humor.

Ficha técnica:
Adaptação e direção: Leandro Ribeiro

Elenco: Douglas Carvalho, Gabriel Ditelles, Juliano Passini e Marcello Crawshaw.

Stand by: Davi Borba.

Figurinos: Fabrizio Rodrigues.

Maquiagem: Luana Zinn.

Coreografias: Fernanda Majorczyk.

Iluminação: Casemiro Azevedo.

Operação de Som: Ismael Goulart.

Diretora Assistente: Márcia Metz.

Fotografia: Cau Guebo.

Produção: Tom Peres.

Duração: 80 minutos

Classificação: 12 anos

A Gaiola das Loucas 2 Foto: Cau Guebo/No Sofá

A Gaiola das Loucas 2 Foto: Cau Guebo/No Sofá

Como sobrevir ao fim do mundo


Datas e horários: 26 de janeiro às 20h e 27 de janeiro às 18h
Local: Instituto Ling, 
Rua João Caetano, 440

Sinopse:

O que você faria se o mundo acabasse amanhã? Que histórias você contaria para si mesmo? O mundo vai chegar ao seu final, assim como todas as coisas na vida. A morte é um fato. Diante disso, uma mulher espera, o tempo todo, que algo emocionante aconteça. Ela decide escrever uma peça de teatro inspirada em sua própria vida e os acontecimentos são divididos com o público, às vezes de forma narrada e outras, de forma que a atriz vivencia o que está sendo dito. Em um dado momento, já não se sabe mais se seus relatos são imaginação ou não. Sua voz se transforma em todas as vozes possíveis e impossíveis num gesto único de tentar fazer com que o fim de tarde se pareça um pouco menos com o fim do mundo. Uma peça sobre solidão, angústia, ansiedade, amor, finitude, e morte, de todas as coisas, inclusive do próprio universo.

 Ficha Técnica:

Direção, Composição Audiovisual, Trilha Original, Dramaturgia, Produção e Roteiro: Kevin Brezolin
Atuação, Dramaturgia e Produção: Catharina Conte
Iluminação: Kevin Brezolin

Sonoplastia: Maurício Fulber
Assessoria de Imprensa e Produção Executiva: Gustavo Saul

Coordenação de Produção: Patsy Cecato
Realização: Kháos Coletivo e Complexo Criativo Cômica Cultural

Duração: 50 minutos
Classificação: 
14 anos

Como Sobreviver ao fim do mundo Foto: Jéssica Barbosa/No Sofá

Como Sobreviver ao fim do mundo Foto: Jéssica Barbosa/No Sofá

Caio do Céu

Datas: 26, 27 e 28 de janeiro
Horário: 21h
Local: Teatro Renascença, Érico Veríssimo, 307

 Sinopse:

 Impossível ler Caio Fernando Abreu (1948/1996) sem enxergá-lo, sem senti-lo, ele é visceral, sincero, confessional, um biógrafo do emocional, um fotógrafo da fragmentação contemporânea, um tradutor do seu tempo. Escreveu principalmente sobre o tema que mais lhe despertava a imaginação: a condição humana. Com profundidade e leveza, Caio do Céu transpõe seu universo para o palco através de crônicas, cartas, contos, poemas, textos teatrais, depoimentos, música ao vivo e projeções. Traz para a cena o próprio Caio por meio de vídeos com trechos de suas entrevistas. Caio do Céu expõe e questiona os valores da sociedade e, principalmente, as questões da alma humana. É um grito de alerta, uma louvação à vida.

Ficha Técnica:

Textos: Caio Fernando Abreu

Concepção: Deborah Finocchiaro e Luís Artur Nunes

Roteiro: Deborah Finocchiaro

Direção: Luís Artur Nunes

Assistência de Direção: Áurea Baptista e Jéssica Lusia

Atuação e Violão: Deborah Finocchiaro

Atuação, teclados e percussão: Gustavo Petry

Pesquisa de Imagens e Direção de Vídeos: Bruno Polidoro e Daniel Dode

Participação em Vídeo: Marcelo Ádams

Figurino: Antonio Rabadan

Iluminação: Leandro Roos Pires

Projeto Gráfico: Rafael Sarmento e Sandro Ká

Produção: Cristiane Cubas e Deborah Finocchiaro

Coordenação de Produção e Direção Geral: Deborah Finocchiaro

Realização: Companhia de Solos & Bem Acompanhados

Duração: 60 minutos
Classificação: 12 anos

Este espetáculo terá tradução para libras em todas as sessões

Caio do Céu - Foto: Náthaly Weber/No Sofá

Caio do Céu – Foto: Náthaly Weber/No Sofá

A partícula de Deus

Datas: 26, 27 e 28 de janeiro
Horário: 21h
Local: Centro Histórico-Cultural Santa Casa, Av. Independência,75

Sinopse:

Galileu Galilei, um dos maiores cientistas de todos os tempos, foi condenado pela Inquisição a renunciar as idéias heliocentristas, propostas por Nicolau Copérnico. Porém dizem que a encrenca com a Igreja ocorreu por ele ser um atomista. Galileu defendia que a matéria era composta por partículas indivisíveis e que entre elas havia o nada, a ausência de Deus.Peter Higgs, outro grande cientista, ganhou o prêmio Nobel de Física em 2012. Ele descreveu o bóson, uma partícula atômica que oferece massa às moléculas. Denominada a Partícula de Deus, ela ocupa o espaço entre uma partícula e outra. Esta peça construiu uma ponte no tempo entre estes dois grandes cientistas, e você está convidado a participar desse encontro histórico que nunca aconteceu e, por isso mesmo, tão promissor.

Ficha Técnica:

Texto: Julio Conte e Marcelo Goldani
Direção: Julio Conte
Elenco: Luis Franke, Heitor Schmidt e Renata Stein
Assistência de Direção: Catharina Conte
Iluminação: Fabiana Santos
Sonoplastia e Projeções: Ismael Goulart
Produção Executiva, Assessoria de Imprensa e Mídias Sociais: Gustavo Saul;
Cenotécnico: Kiko Angelim
Direção de Produção: Patsy Cecato;
Realização: Complexo Criativo Cômica Cultural e Fundação Médica do Rio Grande do Sul;

Duração: 60 minutos
Classificação: 14 anos

Breves Entrevistas com Homens Hediondos

Datas: 26,27 e 28 de janeiro
Horário: 21h
Local: Teatro de Arena, 
Av. Borges de Medeiros, 835

Sinopse: 


A montagem é uma adaptação dos contos homônimos do norte-americano David Foster Wallace, ganhador do Prêmio MacArthut Fellowship. Com direção, dramaturgia e atuação de Daniel Colin, Guadalupe Casal e Ricardo Zigomático, Breves entrevistas… dá voz a diversos homens, que respondem às perguntas de uma mulher ausente. Todos revelam seus segredos: são entrevistas hediondamente pessoais.

A peça tem uma característica diversificada e surpreende: a plateia é convidada a escolher as cenas-entrevistas que querem assistir, ou seja, o espetáculo é construído a partir da participação da plateia, todas as noites. A estrutura dramática de Breves entrevistas com homens hediondos se constitui de seis cenas/entrevistas fixas e mais quatro escolhidas pelo público a cada noite, provocando uma rotatividade e o ineditismo do espetáculo, que é diferente a cada apresentação.

Ficha técnica:

Direção geral: Daniel Colin
Direção, dramaturgia e atuação: Daniel Colin, Guadalupe Casal e Ricardo Zigomático
Atuação: Douglas Dias
Cenário: Eder Ramos e Ricardo Zigomático
Figurinos: Daniel Lion
Iluminação: Carol Zimmer
Operação de luz: Casemiro Azevedo
Trilha Sonora Pesquisada: Rafael Lopo, Daniel Colin e Ricardo Zigomático
Direção, edição e operação dos vídeos: Thais Fernandes
Design Gráfico: Pedro Gutierres
Cabelos e Maquiagem: Márcia Pazzini
Fotografias: Claudio Etges
Coordenação de Produção : Guadalupe Casal
Realização e Produção Geral: Teatro Sarcáustico

Duração: 80 a 120 minutos
Classificação: 
16 anos

Reportório Osório

Datas: 26, 27 e 28 de janeiro
Horário: 21h
Local: Sala Álvaro Moreyra, Av. Érico Veríssimo, 307

Sinopse:

Reportório Osório é um espetáculo humorístico músico-teatral que tem feito sucesso em Portugal. Apresenta uma coleção de canções, aliando a escrita e interpretação de Luís Fernandes à magistral música de Luís Cardoso e ao talento da acordeonista Sónia Sobral. Em Reportório Osório o cotidiano das relações afetivas é transformado em canções irônicas, em que a teatralidade do intérprete reforça o perfil cômico ou absurdo de cada personagem.

Ficha Técnica:
Voz e Interpretação: 
Luís Fernandes
Acordeão: 
Sónia Sobral
Músicas: 
Luís Cardoso
Letras: 
Luís Miguel Fernandes
Duração: 
55 minutos
Classificação:
16 anos

SERVIÇO NO SOFÁ:

Teatros:

O Centro Histórico-Cultural Santa Casa (Av. Independência, 75), o Instituto Goethe (Rua 24 de Outubro, 112), o Instituto Ling (Rua João Caetano, 440), o Teatro de Arena (Av. Borges de Medeiros, 835), Teatro da AMRIGS (Av. Ipiranga, 5311), o Teatro do Bourbon Country (Av. Túlio de Rose, 80), o Teatro Renascença e a Sala Álvaro Moreira (Av. Érico Veríssimo, 307), o Theatro São Pedro (Praça Mal.Deodoro SN- Centro Histórico) e o Teatro do Sesc (Av. Alberto Bins, 665).

“Todos os espaços contam com acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida.”

Valores dos Ingressos:

No Teatro: R$40 inteira

R$32 Clube ZH e Banricompras

R$20 idoso e estudante

R$20 Teatro infantil

 Antecipado: R$30 inteira

R$24 Clube ZH e Banricompras

R$20 idoso e estudante

R$20 Teatro infantil

Formas de pagamento e descontos:

Na aquisição de ingressos, antecipado ou na hora, será aceito dinheiro ou débito e crédito das bandeiras aceitas pela Vero, como Banricompras, Mastercard, Visa e Verdecard. 
Portadores do Clube do Assinante ZH e do Banricompras terão desconto válido para titular e um acompanhante (dois ingressos por peça), mediante apresentação do cartão ou de comprovante pelo titular.

Estudantes e demais contemplados com descontos de 50% pela Leia Federal da Meia Entrada devem apresentar comprovante determinado pela própria lei, que entrou em vigor em 01/12/2015, decreto nº 8.537 de 5 de outubro de 2015 (que pode ser acessado aqui), que regulamenta a nova lei da meia-entrada (Lei n° 12.933/2013) e o Estatuto da Juventude (Lei n° 12.852/2013).

O Porto Verão Alegre respeita todos os descontos aplicados por essa lei.

A apresentação do comprovante é obrigatória e deve ser feita no momento da compra nos pontos de venda. Quando a compra do ingresso acontecer pela internet, o comprovante deve ser entregue na bilheteria dos teatros no momento da troca do voucher pelo ingresso.

Política de troca de ingressos:

Os ingressos poderão ser trocados, sendo comprados pela internet ou nos pontos de venda, em até sete dias após a data da compra, 24 horas antes do início do espetáculo, não havendo exceções. Informações completas sobre como proceder estão no site www.portoveraoalegre.com.br.

Pontos de Venda:

A compra antecipada dos ingressos pode ser feita nos dois já tradicionais pontos:

– no 3o andar do Praia de Belas Shopping, de segunda a sábado, das 10h às 22h, domingos das 13h às 19h.

– no Casarão Verde – loja 133 – do DC Shopping – de segunda a sexta, das 10h às 19h.

A novidade, neste ano, é que os ingressos antecipados para todos os espetáculos (exceto os que estão em cartaz no Theatro São Pedro e no Bourbon Country) também poderão ser comprados nas bilheterias dos seguintes teatros – Centro Histórico-Cultural Santa Casa, Instituto Goethe, Teatro de Arena, Teatro da AMRIGS, Teatro Renascença, Teatro do SESC e Sala Álvaro Moreira -, nos dias em que os espetáculos do Porto Verão Alegre tiverem sessões, duas horas antes delas começarem. 

Os ingressos que sobrarem também poderão ser adquiridos nas bilheterias dos respectivos teatros duas horas antes do horário de início das sessões.

Vendas online:

As vendas acontecem pelo site www.portoveralegre.com.br (com cobrança de taxa de 20% sobre o valor do ingresso). As vendas dos ingressos pelo site encerram-se duas horas antes do início da sessão do espetáculo comprado. Para compras via internet serão aplicados os mesmos descontos para compras em pontos físicos, incluindo os da Lei Federal da Meia Entrada e o Banricompras, com exceção do Clube do Assinante.  As formas de pagamento para compra via internet são aceitas todas as modalidades de pagamento aceita pelo Pagseguro, detalhadas no site de vendas. 

Exceção:

O espetáculo apresentado no Teatro do Bourbon Country, Alcemar a Mascada Perdida, somente será vendido na bilheteria do local na Av. Túlio de Rose, 80. Os horários para compra antecipada são de segunda a sábado, das 10h às 22h, e domingos e feriados, das 14h às 20h. Na hora, é possível comprar ingressos com preço de antecipado até duas horas antes do espetáculo e se sobrarem ingressos da venda antecipada. As formas de pagamento na bilheteria do Teatro do Bourbon Country são diversas. No site é possível verificar todas. A compra pela internet de Alcemar e a Mascada Perdida pode ser feita pelo site https://www.teatrodobourboncountry.com.br/ .

Os descontos praticados pelo Porto Verão Alegre – beneficiários da Lei Federal da Meia Entrada, clientes Banricompras e Clube do Assinante – serão práticos para o espetáculo em cartaz no Teatro do Bourbon Country.

O 19º Porto Verão Alegre é apresentado pelo Ministério da Cultura, Banrisul Cartões e Zaffari, e tem patrocínio de Corsan, DLL e Panfácil, além do apoio de AEL Sistemas, BRDE, Comerlato Imobiliária, DC Shopping, Doctor Clin, Iesa, Grupo RBS, NET, Santa Clara e Ultragaz.   

 Sobre o Porto Verão Alegre:

A geração de no mínimo mil empregos diretos, e tantos outros indiretos, retrata uma das características de uma iniciativa que chega ao 19º ano em 2018 e que foi responsável por mudar o hábito dos gaúchos no verão. A realização ininterrupta do Porto Verão Alegre é responsável pela disseminação da ideia de que teatro é para todos. Com uma audiência cativa e formada por pessoas entre oito e 80 anos, vindas de diversas cidades do Estado, o Porto Verão Alegre – que passou a incluir outras atividades artísticas, além de gratuitas, ao longo dos anos – já atraiu mais de meio milhão de pessoas, média de 40 mil pagantes por edição, e vem aumentando ano após ano. O Porto Verão Alegre é um projeto privado realizado pela Mezanino Produções, liderada pelos atores Rogério Beretta e Zé Victor Castiel, e pela Mais Além, dirigida por Claudia D’Mutti.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA