A dança das cadeiras na gastronomia….

0
698

    Foto: Divulgação/No Sofá

***** Em temperadas tumultuadas, as
boas notícias são raras. Agora, foi a vez dos
restaurantes brasileiros perderem posição na lista
dos melhores da América Latina. Não chega a ser
grave, mas o D.O.M., de Alex Atala, passou do 3º lugar para o
4º, e o Mani, da gaúcha Helena Rizzo, deixou a 4ª
posição e está na 8ª. 

Ambos continuam
entre os dez melhores. Saíram os restaurantes italianos
Fasano e Attimo. A capital paulista ficou mais fraca, mas o Rio de
Janeiro está firme, inclusive com a bonita estreia do Lasai,
do chef Rafael Costa, e a ascensão do Olympe. 

A chef
gaúcha Roberta Sudbrack ficou com a indicação
de melhor chef mulher da América Latina, dando maior
destaque ao seu restaurante homônimo no Jardim
Botânico. 

O Central, um dos cotados restaurantes do Peru,
segue liderando, com o reconhecimento dos chefs Virigilio Martinez
e Pía León, que destacam-se pelo trabalho
contemporâneo, com o uso dos ingredientes e métodos de
cozinha típicos do país, que, sem dúvida, tem
uma das melhores culinárias latinas. 

Aqui em Curitiba, o premiado chef Ivo Lopes deixou a cozinha do La Varenne para se dedicar exclusivamente as suas consultorias. O Restaurante Salumeria fechou as suas portas e vai resolver se reabre com outro cardápio e outra nova administração.