Compras pela internet ganham força durante a pandemia e ajudam a movimentar a economia local

0
107

As vendas pela internet (e-commerce), cresceram muito durante a pandemia que enfrentamos do coronavírus. E os esforços de diversos empresários do Paraná, para que a economia não pare por completo, é incansável. Claro, que sempre respeitando as normas de segurança para conter os avanços da covid-19.

Com o último decreto publicado pelo Governo do Estado, comércios de rua e outros serviços não essenciais,estão fechados desde a última quarta-feira, 01/07, pelo período de quatorze dias.

Neste cenário, cresce cada vez mais as compras pela internet, tornando-se a melhor opção de venda, pois o consumidor recebe seu produto em casa, com o menor contato físico possível, garantindo a segurança de quem vende e de quem compra. E o melhor, movimentando a economia.

Até as pessoas que tinham resistência pelas compras online, passaram a dar uma chance a essa modalidade. Essa mudança de comportamento, é principalmente para aqueles que não tinham muita experiência na internet, e com a pandemia precisaram buscar outras opções de compra, inclusive em serviços locais.

Segundo dados do Sebrae, a visita a páginas de utensílios domésticos por exemplo, teve um aumento de 33%, e está entre as que mais cresceram durante a pandemia.

A marca paranaense Daju, que é a maior da região nos departamentos em que atua, e é referência em itens para a casa, aponta um crescimento no seu e-commerce. Segundo o diretor da marca, Roger Karsten Lorenz, os clientes da Daju, já acostumados a frequentar as lojas físicas, também demonstram satisfação pela loja virtual. “Neste momento estamos atentos as necessidades dos nossos clientes, para saná-las da melhor maneira,através do nosso e-commerce, como fazemos sempre em nossas lojas”, garante Roger.

A Daju é Especializada em cama, mesa, banho, tapetes, cortinas, sofá, utilidades, presentes, eletroportáteis, tecidos e homewear, e o cliente pode comprar através do site daju.com.br na aba “loja virtual”.

Vale lembrar que neste momento, o e-commerce não vende apenas produtos, ele envia a solução, tornando-se essencial para milhões de famílias, que estão nas duas pontas desse serviço. As que precisam comprar seus produtos, para garantir o bem estar de suas famílias, e aquelas que dependem dele para trazer o sustento delas.

Fonte: Cris Osike – Nova Comunicação