No Sofá com Tayana Passos: Os relacionamentos amorosos e as redes sociais

0
1180
                       Por Tayana Passos
                      Consultora de Relacionamento e Bem-Estar/ No Sofá
                      Foto: Divulgação/No Sofá/ Isabelle F. Rodrigues Assessoria
Uma boa conversa olhando nos olhos do parceiro pode minimizar as inseguranças
Atualmente, tudo aquilo que acontece no mundo real estende-se para o mundo virtual e vice-versa. O que é publicado nas redes sociais torna-se público em questão de segundos, as amizades, mensagens e postagens podem ser conferidas e servir de álibi para muitas DRs, ou seja, para “discutir a relação”.
 A maior parte das pessoas, ou pelo menos um membro do casal possui um perfil em algum tipo de rede social. Com isso, a preocupação com o que acontece nos dois mundos (real e virtual) torna-se cada vez maior, ou seja, com quem o parceiro conversa, quem curte ou comenta suas postagens e assim por diante. A rapidez e a precisão que as informações são postadas e visualizadas é incrível e muitas vezes foge ao controle do que antigamente demorava uma semana para virar notícia.
O comportamento que as pessoas têm no dia-a-dia pode ser refletido nas redes sociais ou seja, quem é extrovertido, gosta de conversar e estar com os amigos pode ter um comportamento mais ativo nas redes sociais. Provavelmente irá postar mais fotos, comentar postagens de amigos e interagir de forma mais ativa do que aquele que na vida real adota postura mais reservada, preferindo realizar programas em grupos menores e atividades mais introspectivas.
Todavia, pode acontecer também o oposto, na qual pessoas tímidas tornam-se extrovertidas e participativas no mundo virtual. Este comportamento se deve por conta da conveniência em não precisar conversar olhando nos olhos do outro, tornando-se mais fácil criar um cenário que pode não existir no mundo real.
Os relacionamentos amorosos estão sofrendo alguns impactos com este avanço tecnológico. Um dos grandes receios das pessoas é que através das redes sociais é possível reencontrar com mais facilidade as velhas paixões e amizades antigas, repletas de afetos e experiências não vividas ou não terminadas no passado. Esta possibilidade pode confundir as pessoas que estão vivendo suas vidas casadas e com filhos, especialmente se estiverem passando por períodos de instabilidade no relacionamento. Neste caso, a desvantagem das redes sociais é a facilidade que as pessoas tem para se encontrar, conversar e conhecer como está a vida dos outros.
As redes sociais podem servir para facilitar o contato com as pessoas, mas elas não devem ser associadas como as culpadas de prejudicar os relacionamentos amorosos. Cabe à pessoa, mesmo estando em um ambiente virtual preservar seus valores morais e ter respeito pelo seu parceiro.
Quando se escolhe dar uma abertura excessiva para outras pessoas, mesmo estando em um relacionamento, elas tendem a ter um comportamento no mundo real com conversas e sorrisos mais frequentes que o ideal ou no mundo virtual, com curtidas e comentários mais frequentes que o ideal.
As redes sociais funcionam como facilitadoras para o mundo dos negócios e para convidar as pessoas para um evento, por exemplo. Entretanto, podem dificultar a vida de muitos casais que não possuem um bom canal de comunicação, não conversam sobre o que lhes agrada ou não com relação ao comportamento no mundo real e virtual, bem como no que diz respeito à confiança.
Para evitar problemas, o casal pode conversar e criar um acordo com relação ao comportamento no mundo virtual. Para isso, seguem algumas dicas:

  • Perguntar ao parceiro(a) o que ele pensa sobre a sua conduta nas redes sociais;
  • Caso haja insatisfações, perguntar como ele(a) gostaria que você agisse. Explorar que tipo de ações o incomodam, o que lhe deixa enciumado, etc…
  • Avaliar se as colocações são pertinentes e como você pode atender aos pedidos dele(a), como podem negociar levando em conta os dois lados;
  • Conversar com ele sobre o sigilo das senhas, se um deve ter a senha do outro ou se a confiança é o suficiente;
  • Conversar sobre a possibilidade de uma “conduta padrão” para os ex-parceiros e “amigos íntimos”, ou seja, se eles podem ser incluídos como amigos, se podem haver comentários, curtidas e assim por diante.
Cada casal precisa encontrar a maneira que melhor funciona para si, o mais apropriado é aquilo que oportuniza uma vida tranquila, na qual ambos possam confiar um no outro.
Existem parceiros que não aceitam que o parceiro tenha um perfil em uma rede social. Muitas vezes não confiam ou se sentem mais seguros sabendo que seu parceiro estará fora do acesso alheio. Para aquele que se sente desconfortável com a proibição, vale a pena conversar com o parceiro sobre a confiança que um tem no outro. A ausência de um perfil nas redes sociais não garante um comportamento adequado e a fidelidade no mundo real.
Seguir todos os passos do parceiro nas redes sociais pode revelar baixa auto-estima e insegurança. Para ter um relacionamento saudável é imprescindível que o casal converse sobre seus medos e inseguranças olhando um nos olhos do outro, e consigam juntos chegar a um consenso sobre a melhor forma de agir no mundo real e no mundo virtual.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here